segunda-feira, 23 de junho de 2008

“O MAIOR E O MELHOR SÃO JOÃO DO MUNDO”

foto

Título disputado por duas cidades nordestinas: Caruaru em Pernambuco e Campina Grande na Paraíba! Nas duas festas, o genuíno forró pé de serra dos trios regionais, além de consagrados nomes da música brasileira se apresentam durante todo o mês de Junho. A alegria das danças, das músicas e da boa comida típica são os ingredientes principais que não faltam nessas paragens!

O mês de Junho é para o Nordeste um período de festa e fartura. Mais do que o carnaval, são as festas juninas que melhor refletem a forte identidade cultural entre os Estados do Nordeste. S. João que é festejado no dia 24 de Junho leva a fama, mas as festividades acontecem durante todo o mês.


Quando,
o forró pé de serra é dançado,
ao som da sanfona e da zabumba,
o cheiro das comidas típicas da época,
começa a sair pelas casas,
a fumaça e o calor das fogueiras,
alegram os corações das pessoas,
é tempo,
da apresentação dos bacamarteiros,
das bandas de pífanos,
das famosas quadrilhas.
Quando,
Os homens vestem camisa xadrez e põe chapéu de palha,
as mulheres desfilam seus vestidos de chita enfeitados,
usam chapéu e muita pintura no rosto,
significa,
que a festa de S.João começou no grande arraial do Nordeste!




foto

Como já postei na semana passada, as festas juninas nordestinas são muito importantes. Para vários nordestinos que se encontram fora de seus Estados, voltar à terra natal, nessa época, para os festejos juninos é o grande sonho! E para quem já está lá, é um momento esperado e preparado durante o ano todo!

As tradições fazem parte das comemorações, ainda é comum no Nordeste, a formação de grupos festeiros que ficam andando e cantando pelas ruas das cidades. Vão passando pelas casas, onde os moradores deixam nas janelas e portas uma grande quantidade de comidas e bebidas para serem degustadas pelos festeiros.

Se você não puder participar dessas festividades e saborear as comidas, aí vão algumas sugestões de receitas nordestinas que poderão ser preparadas em sua casa e fazer você sentir um pouquinho do sabor do grande S. João do Nordeste.

A minha amiga Regina Helena sugeriu essa receita que é típica da cidade do Recife.

BOLO PAMONHA


Ingredientes:

3 ovos
2 copos de milho verde
2 copos de açúcar
2 vidros de leite de coco
3 colheres (sopa) de manteiga derretida
3 colheres (sopa) de farinha de trigo
1 colher (chá) de sal

Modo de fazer:

Aquecer o forno.
Bater muito bem no liquidificador, os ovos, um copo de milho, um copo de açúcar e um vidro de leite de coco. Depois acrescentar o restante dos ingredientes e tornar a bater.
Atenção: É necessário bater em duas etapas para misturar bem todos os ingredientes, caso contrário o resultado não é bom!
Untar e enfarinhar uma forma de buraco no meio, despejar a massa e levar ao forno pré-aquecido a 180°C por aproximadamente 45 minutos.


BOLO MACAXEIRA (mandioca)



foto

Ingredientes:

1 kg de mandioca crua ralada
650 g de açúcar
5 ovos inteiros
1 coco médio fresco ralado
250 g de manteiga derretida

Calda:


2 xícaras de açúcar
1 xícara de água

Modo de fazer:

Levar ao fogo o açúcar em uma panelinha até dourar, ir adicionando a água até derreter, caramelizar uma forma de buraco no meio e reservar.

Em uma tigela, colocar a mandioca, o açúcar, os ovos, o coco e a manteiga, misturar tudo muito bem com um batedor e despejar a massa na forma caramelizada e levar ao forno a 200°C por aproximadamente 1 hora.


BOLO DE COCO

Ingredientes:

3 ovos inteiros
1 copo de leite
2 copos de açúcar
2 copos de farinha de trigo
2 colheres de margarina
½ pacote de coco ralado
1 colher (sopa) de fermento em pó

Calda:

1 copo e meio de leite
1 copo de açúcar
1/1 pacote de coco ralado

Modo de fazer:

Bater todos ingredientes da massa no liquidificador, menos o fermento que deverá ser adicionado no final e despejar em uma forma untada e enfarinhada. Levar ao forno a 180°C por aproximadamente 45 minutos. Fazer o teste do palito.

Calda:

Misturar os ingredientes da calda e despejar no bolo ainda quente.


BOLO SOUZA LEÃO

Este bolo traz entre os seus ingredientes um pedaço da história de Pernambuco. È o bolo mais famoso do Nordeste. Trata-se da verdadeira lenda da doçaria tradicional nordestina.
Com ingredientes simples, regionais, resulta em uma preparação de sabores marcantes como a mandioca, o coco e o açúcar.

Conta a história que esse bolo foi servido pela família Souza Leão, dona de extensos canaviais, ao imperador D. Pedro II e sua esposa, Teresa Cristina, em viagem a Pernambuco e o casal imperial deliciou-se com tal iguaria.

O lugar desse bolo em Pernambuco é tão nobre quanto a linhagem dos Souza Leão que o batizou, formada por senhores de engenho dos municípios de Jaboatão, Moreno e vizinhanças. A família Souza Leão tem vários ramos provenientes de onze engenhos de Pernambuco. Com o passar do tempo, os herdeiros foram criando receitas com pequenas variações e proporções de ingredientes. Na realidade, fica difícil identificar a receita original. No final têm-se vários bolos, mas todos muito parecidos com um pudim e muito saboroso, quem prova nunca mais esquece!

O principal ingrediente desse bolo é a puba ou massa de mandioca, que é uma massa úmida de cheiro e sabor acres, obtida da fermentação da mandioca. È encontrada à venda nas casas do Norte.

De todas as receitas que eu pesquisei selecionei aquela que achei mais fácil de preparar.



Ingredientes:

120 ml de água fria
250 g de açúcar
1 pau de canela
6 cravos da Índia
1 colher (café) de semente de erva doce
100 g de manteiga (não serve margarina)
250 g de puba
4 gemas
180 ml de leite de coco
Uma pitada de sal
Manteiga para untar

Modo de fazer:

Numa panela fazer uma calda em ponto de fio com a água e o açúcar, procedendo da seguinte maneira:
Antes de começar a cozinhar, dissolver completamente o açúcar na água. Levar para ferver e não mexer mais até atingir o ponto desejado, para não açucarar.
Para saber o ponto certo, ao retirar um pouco da calda com uma colher ou garfo, um fio fino se formará e acompanhará os movimentos da mão.
Neste ponto adicionar à calda o pau de canela, os cravos e a erva doce. Retirar do fogo, coar e com a calda ainda quente colocar o sal e a manteiga. Deixar esfriar.

Em outro recipiente, misturar a massa puba e as gemas uma a uma. Acrescentar aos poucos o leite de coco e misturar até a massa ficar homogênea.
Acrescentar a calda fria e misturar muito bem.
Preaquecer o forno a 200°C.
Untar uma forma com buraco no meio, despejar a massa e assar em banho maria (igual pudim), coberto com papel alumínio por aproximadamente 50 minutos. Retirar o papel e assar até ficar dourado, por cerca de 10 minutos.



5 comentários:

Mari disse...

Maaaaaaaaaaaae, aqui também é comemorado o dia de São João, é tão comemorado que na Catalunia é feriado amanhã hehehe. Hoje tem festa na praia e muitos fogos de artifício. A noite de hoje é chamada de La Verbena de Sant Joan!!! Depois conto como foi. Eu e a tati vamos fazer a cocada hoje!!! beijooos

disse...

Tia! vc tem me deixado com muuita água na boca!

Que vontade de comer todas essas coisas boas =D

Fora que seus textos estão demais! Mto legal mesmo. Não pare!

Eu amo festa junina e aqui em Portugal a comemoração dos Santos Populares (em especial Antonio e Joao) tbm é bem forte! E a festa bem parecida com a nossa. A principal diferença está justamente nas comidas. Aqui come-se sardinha e mais sardinha! E tbm não tem quadrilha hehe

Aqui em Lisboa a grande comemoração é no dia 12 de junho, véspera de Sto. Antonio! E no Porto é hj, véspera de S. João!

Bjos e saudades!
Ah! Esse final de semana estou indo visitar a sua filhota! Pode deixar que vou cuidar bem dela =D

In Cucina disse...

Queridas, aproveitem essas festas juninas aí em Portugal e Espanha que é onde tudo começou!
Não há dinheiro que pague esses momentos maravilhosos!!!
Beijos, Teresa

Anônimo disse...

Teresa, as festas juninas e o melhor São João são assuntos interessantes de se lêr e aprender. As comidas típicas da época e das diversas regiões do Brasil fazem essa riqueza de tradições e iguarias. Parabéns, cada dia você me surpreende mais com coisas novas e conhecimentos atualizados.um Beijão. Aurelio

rhblima disse...

Olá Teresa!!!!
Acabei de voltar do Recife, mais precisamente de Vitória de Santo Antão, cidade a 40 km da capital.Senti na pele o que descreveu em seu texto, por sinal, maravilhoso! Fomos a um típico forró de São João com direito até a tiros de bacamarte!!!!
Seu blog está lindo e fico esperando pelas receitas e pelos textos!
Parabéns!
Beijos
Regina Helena